Idiomas

English French Spain Italian Portuguese Japanese Chinese Simplified

25 de janeiro de 2018

A importância da vida e o tempo que não volta


 Observo no dia a dia, o quanto que a futilidade, infelizmente tornou-se algo banal. Muitas pessoas age e reage de maneira fútil com relação á vida e o tempo que são tão preciosos. Não se dão conta de que tudo passa e que deveriam ou poderiam ter feito muito mais para que tivessem uma realidade de vida melhor. O problema é que para muitos a ficha só caí  quando o tempo passa e a idade chega. Caros leitores e leitoras, sempre há tempo para refazer cada linha mal feita da vida, mas uma coisa é certa: O que passou não volta mais e o tempo que foi desperdiçado é algo perdido. O que pode ser feito é uma revista ao passado e procurar não repetir as mesma práticas.   Por esta e outras razões que em tudo e para tudo temos que agir com a razão e com os pés nos chão. A razão projeta-nos para um futuro certo, já as emoções para o campo das ilusões.

  Um choque de realidade sempre faz bem e sobretudo, projeta-nos para uma reflexão que produz resultados.  Como na imagem em tela, nossa vida é como uma ampulheta,  que possuí tempo definido e para tantos que levam a vida dentro do contexto de infindáveis brincadeiras sem nexo fica a reflexão. Nada contra os prazerosos momentos de descontração, mas se faz necessário saber que para tudo há hora certa! A vida como digo, em muitas de minhas obras é muito passageira e ter atenção para com isso é fundamental, pois é sobre esta base de pensamento que devemos estruturamos o nosso futuro plantando no hoje, o que almejamos alcançar no amanhã. Sob o ponto de vista que a vida é passageira e devemos vive-la intensamente é uma coisa, mas ter os pés nos chão e a consciência de que devemos viver com intensidade, porém sempre semeando no intuito de ter como colher é algo precípuo. Quem pensa de maneira diversa tem todo o direito de fazê-lo, no entanto, não tem o direito de reclamar dos resultados, pois a vida é constituída de escolhas e cada um faz as suas. No campo da semeadura, o semeador, nós, temos a liberdade de escolha, contudo também ficamos reféns das consequências sejam elas boas ou ruins. Dentro deste prisma que segue a minha linha de raciocínio. As futilidades permeiam a meu ver, á órbita da idiotice porque muitos perdem tempo com vídeos sem conteúdo, conversas sem fundamento, a prática da detração, ou seja, falando umas das outras e não se apercebem do quanto estão sendo desleixadas com elas mesmas. Assistir um vídeo sem conteúdo já é uma perda de tempo ridícula, mas falar mal dos outros é algo que só cabe dentro da cabeça de pessoas medíocres que por falta da vontade de aprender algo novo, seja pela preguiça ou mesmo ignorância acabam por mergulharem no mais absoluto abismo. Dentro de minhas imperfeições, pois não somos seres perfeitos, mas em processo contínuo de aprimoramento fico procurando entender qual o meu papel nesta vida e o de como posso ser útil ao meu próximo. Não para promover-me, mas para que a minha vida tenha sentido e não venha viver por viver. Que Deus, independente de credo religioso, seja a bússola que guie todos. 

  Conclusão, a vida para ter sabor e sentido prático de verdade necessita ser vivida com sensatez e ter bom senso é sempre refletir e extrair o que é e está sendo construtivo para nós e para os nossos semelhantes. Reflitam e tenham um excelente dia!!!



João Luciano Silva da Costa.