Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

3 de junho de 2017

A rejeição e o abandono

   
 O tema é triste, mas, no entanto, muito relevante haja vista que, muitos sofrem a dor de ser rejeitado ou abandonado ao longo da vida, quer seja por não ter dinheiro, quer seja por não ter os seus valores humanos devidamente reconhecidos no meio social do qual faz parte etc. Trata-se de algo lamentável, mas que faz parte do contexto social. Nunca se esqueça que tudo pode ser visto de maneira positiva e ser usado a seu favor, como crescimento pessoal, pois são nos momentos de rejeição e abandono que somos projetados de maneira sem igual a mergulharmos para dentro de nós mesmo e neste mergulho somos confrontados, contrariados e com isto nos tornamos mais fortes e blindados. Na minha concepção, a vida é assim, constituída de coerências e incoerências. Cabe a cada um filtrar e absorver o que há de importante e de perceber a sua importância. Isto sim é que dá sentido a nossa existência. deem uma pausa, por gentileza, para assistirem a reflexão que faço no vídeo abaixo:




   A rejeição e o abandono são atitudes que apesar de serem distintas caminham lado a lado, pois se de um lado alguém é rejeitado do outro este mesmo alguém sofre com o abandono. Ser rejeitado é ser visto como um ser menor e menos importante que outro, ao passo que ser abandonado é ser deixado para trás, protelado e a deriva sem o mínimo sequer de amparo. Tratam-se de situações delicadas e ao mesmo tempo importantíssimas de serem abordadas, pois ambas produzem um sentimento muito ruim na pessoa que está vivenciando tal dor. Estas dores geram depressão e por vezes leva o indivíduo a sofrer, pois o mesmo tende a ficar ruminando o passado triste que viveu. Contudo, isto, sem o mesmo perceber acaba por colocá-lo como uma pessoa vitimizada e sem atitudes para mudar a rota de sua vida. Muitas vezes ao longo da vida muitas pessoas sofrem muito com os descasos, dissabores, incompreensões, traumas e não percebem que o maior mal reside dentro dela mesmo, pois o que pensa e pratica são pensamentos negativos e consequentemente colhe frutos amargos. Nossos pensamentos e palavras possuem poderes incomensuráveis daí a importância de se enxergar a vida com leveza e portar-se de modo sereno frente aos desafios. Vence quem procura encontrar em si os defeitos e razões para a realidade na qual se encontra e não o que projeta no outro a culpa que lhe cabe por seus fracassos. Assumir os próprios erros é ser forte e tornar-se o autor da própria história. Nunca aceite o julgamento de quem quer que seja a seu respeito. Olha-se no espelho e tire alguns momentos consigo mesmo a só. Busque se encontrar e perceberá que o valor que muitos não lhe dão vem do valor que você não se dá. Se valorize e jamais permita ser tapete para que alguém pise. Todos nós, enquanto seres humanos que somos merecemos e viemos a este mundo para cumprir propósitos e um deles é o de ser feliz!!

 Enfim, nunca se auto-subestime, não se abata, não se inferiorize e nunca se dobre diante dos desafios da vida. Drible cada um dos revezes que apareçam diante de você. Tenha a cada dia um encontro consigo mesmo e fortaleça o seu interior e, sobretudo de Deus. Nisto há sentido na vida. 



João Luciano Silva da Costa.