Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

29 de novembro de 2015

O terrorismo no mundo e os fundamentos da paz



 Lamentavelmente atos de terrorismo têm se tornado constante em nossa humanidade, que por sua vez, vive em meio a um contexto de muita violência. Ao adentrar ao campo do terrorismo é imprescindível não deixar de falar sobre intolerância. A intolerância tem estado cada vez mais presente dentro das relações humanas. As pessoas estão, sem generalizar, cada vez mais hostis umas com as outras. Fato este que começa a se dá dentro da própria casa, no seio do que há de mais precioso, á família. Na minha concepção, um dos contrassensos está em ver que uma religião, algo que é voltado para incutir a paz,  possa através de um seguimento extremista, servir de meio para a prática de uma pseudo paz, matando pessoas que não sejam seguidores dos mesmos dogmas. Isto é surreal. Cegos pela ignorância, em nome de uma bandeira idealista sem fundamento, sem medidas, sem amor e sem princípios os terroristas emergem órbita social, como semideuses e julgam-se no direito de matarem e levarem o pânico a todos. Isto é muito triste e deplorável, pois isto caminha ao lado do mais absoluto retrocesso humano. 

 Independente dos ataques terroristas que tenham ocorrido ou que estejam ocorrendo na França, percebo que em linha gerais, o que separa a violência da compreensão está na ignorância, falta de respeito á diversidade, e, sobretudo, na ausência de fé. As pessoas estão frias umas com as outras. Pode parecer um detalhe tão insipiente, mas o simples fato de tratar o outro com civilidade e ter bons sentimentos em relação ao mesmo já faz toda a diferença para que vislumbremos um mundo melhor. Muitos verbalizam e tecem palavras de paz, mas o fundamento da paz passa indiscutivelmente pela maneira volto a dizer, no como tratamos o nosso próximo. Saber lidar com o nosso próximo, respeitando suas diferenças, mesmo sem ser adepto dos mesmos comportamentos e idéias é fundamental porque vivemos em uma diversidade! Chega de tantas firulas que vejo em discursos prontos e sem fundamento e essência. O discurso de paz é válido desde que, traga em si, um marco divisor de águas, capaz de criar um antes e um depois, que mexa com o raciocínio das pessoas e promova nestas uma verdadeira mudança. Para mim, a verdade é tudo. Conversinhas e idéias medíocres não merecem nenhuma atenção. O terrorismo que assistimos  hoje através dos noticiários são reflexos de um processo histórico mal delineado e cheio de pontas soltas. É importante frisar que, a violência que acompanhamos quer seja na França, Estados Unidos ou em qualquer parte do mundo nasce do egoísmo, frieza, discórdias e desamor existentes dentro de muitos lares. Não adianta querer que o mundo mude se em nossa casa não houver mudança. Isto não é religião. Trata-se de uma lógica. O amor é um sentimento que cultivamos todos os dias, e, sobretudo, através da fé em Deus, independente de credo religioso. Um credo que não pregue a divisão, mas sim a agregação!

  Conclusão, só o amor  e Deus, independente de credo religioso, pode transformar a realidade alarmante na qual o mundo está inserido.  Aproveito a oportunidade para deixar aqui, os meus mais sinceros e profundos sentimentos ao povo e ao governo Francês, bem como a todos os povos do mundo que estejam vivendo a mesma situação! Deus os conforte nesta hora tão difícil. Reflitam e tenham um excelente dia!!!



João Luciano Silva da Costa.