Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

10 de maio de 2015

O dia das mães e a sua verdadeira essência


  Falar das mães é traçar um caminho rumo á essência de um dos mais belos amores, sem falar que, discutir tal sentimento é adentrar a mais sagrada e sublime base que sustenta as relações humanas, por mais complexas que as mesmas sejam. Digo isto, pois a partir da geração de um ser, origina-se uma civilização e com ela todo o contexto social do qual, nós seres humanos, fazemos parte. Portanto, proferir qualquer tipo de palavra, ainda que exaustivamente, é algo incapaz de dimensionar a tamanha e merecida grandeza da importância das mães. As mães geram,  educam e, se não bastasse muitas ainda exercem o papel de mãe e pai, bem como diversas outras atividades. Entretanto, apesar de todo o amor aqui descrito, infelizmente o título de mãe é algo que não se pode ser empregado a todas as mulheres. Trata-se de algo óbvio: muitas geram, mas não cumprem com as suas atribuições maternais. Muitas abandonam cruelmente os seus filhos, o que é assistido, não raro, em reportagens. Algo deplorável e inaceitável. Em outros casos, muitas terceirizam os seus deveres de mãe a outrem, o que provoca sérios conflitos psicológicos na criança, pois a mesma passa a ter dois tipos de orientações.  A partir disto, penso que, mãe não é literalmente quem gera, mas sobretudo, a mulher que cumpre todas as etapas de seu papel dentro da estrutura familiar.

  É triste também, perceber que, mesmo diante de toda a importância das mães para a formação de um cidadão, a data de sua comemoração se dê mais por conta de uma, convenção capitalista, que insiste em imprimir seu poder, materialista de compra, através do pujante mercado da oferta e da procura, como se presentes caros e dinheiro fossem as coisas mais importantes. Aliás, ás datas comemorativas levam muitos a esquecerem-se do real significado de valores imprescindíveis. Simples, porém altamente relevantes, como por exemplo, o valoroso gesto de dizer: eu te amo e de, sobretudo, manifestar através de atitudes a importância de se dar valor em vida, coisa que nem todos os filhos o fazem. Muitos deixam para prestar uma homenagem, dizer que ama e ofertar flores depois que seus entes queridos morrem. Quando a carência por um conselho, carinho, abraço apertado lhe batem a porta com todas as forças é que percebem o quão foram faltosos com seus deveres em vida e o mais doloroso é que já é tarde, pois o tempo passa e não volta mais. É caros leitores, a vida é mais do que um simples ponto de vista. Sempre teço palavras de maneira profunda, sem máscaras e com a proposta de uma autoanálise e profunda reflexão, pois o nosso futuro depende do que semeamos hoje. O triste, é que o mesmo motivo que leva o  sistema que reduz datas festivas a um mero comércio é o que tira o foco das pessoas para o verdadeiro sentido da vida, pois se de um lado o comércio luta para levar às pessoas as compras, de outro lado muitos correm freneticamente em busca do dinheiro. Dinheiro este que nem sempre, costumam ter tempo para desfrutarem.

 Enfim, ao longo da vida é fundamental compreender que as maiores demonstrações de amor, via de regra, se dão por meio das nossas genuínas e recíprocas atitudes, entendendo que a relação entre mães e filhos é uma via de mão dupla, aonde o amor esperado e almejado precisa ser plantado por ambos, mas sobretudo, pelas mães que por possuírem o poder educador vão delineando a educação de seus filhos com seus exemplos. Reside nesta percepção o verdadeiro sentido da essência da vida. Convido todos para lerem outros artigos, que publiquei em anos anteriores. Neles discorro ainda mais, sobre o tema em pauta: http://jluciano442.blogspot.com.br/2013/05/dia-das-maes_12.html e: http://jluciano442.blogspot.com.br/2014/05/a-importancia-das-maes-no-contexto.html. Aproveito para ressaltar e homenagear com grande satisfação (in memorian) a importância de minha saudosa mãe-avó: Brasilina Maria de Jesus Costa, que foi meu pilar, exemplo de caráter, humanidade, força, dedicação e que sempre esteve e estará em meu coração e eternizada através dos meus atos. Minha mãe-avó foi uma mulher guerreira, pela qual tenho amor incomensurável e, sobretudo, a grata felicidade de ter tido a oportunidade ímpar de oferecer a mesma, o valor que esta merecia, em vida. Desejo a todas as mães do Brasil e do mundo os meus mais sinceros e carinhosos votos de amor, paz e felicidades!!! Excelente dia para todos!!!


João Luciano Silva da Costa.