Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

12 de março de 2015

Doação de Órgãos: Um Gesto de Amor



  Um dos maiores desafios do sistema de saúde é encontrar pessoas dispostas a fazerem doação de órgãos.  Na minha concepção, ter o desprendimento de deixar ainda em vida, um aviso formal a partir de um documento ou mesmo verbal aos familiares e amigos para que se proceda á doação de órgãos, após atestado o falecimento é um gesto nobre. Trata-se de um tema delicado e, portanto, complexo de ser tratado, mas é um fato real e extremamente pertinente de ser tocado, pois milhares de pessoas sofrem nas filas de espera, por um órgão. Muitos nem aguentam e acabam falecendo no decurso da espera, tamanha a demora. Assistam, por gentileza, á reportagem veiculada no programa "Conexão Repórter", do SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), programa apresentado pelo jornalista Roberto Cabrini:                               


 

  Sei que muitos não concordam sequer, com a hipótese de doar órgãos, seja por uma questão religiosa ou diversa, mas, no entanto, a cerne de toda a questão em voga, está na palavra doar. Palavra esta, que denota umas das virtudes mais sublimes que um ser humano pode demonstrar para com o seu próximo. Entretanto, persiste-se a resistência ferrenha de muitos, em  não fazer a doação de órgãos. Respeito ás convicções e as crenças de todos, mas aponho-me em absoluto a toda e qualquer forma de apego. Minha opinião sustenta-se no amor e no entendimento de que tudo é transitório. Compreender a vida e qual o nosso papel nela é fundamental, sobretudo, se este papel está relacionado ao ato de ajudar. A proposta aqui lançada é a de que todos se atentem para a importância da vida e de que ter o gesto de doar um órgão, volto a dizer, é algo nobre e revelador da mais alta essência da palavra amor e solidariedade. Quando saímos do campo físico o que fica é um corpo que de nada servirá, senão de adubo para o solo. Ter consciência disto e perceber que nem todos concordam em doar órgãos é imensamente triste ao saber que com a doação de um ou mais órgãos, pessoas tais como: crianças, adultos e idosos poderiam estar tendo mais uma chance de vida ou pelo menos uma melhor qualidade da mesma, sobretudo, falando-se sobre o caso das pessoas com deficiência nos rins e que vivenciam semanalmente a dor terrível de terem que passarem pelo processo incisivo de hemodiálise.

  Minhas palavras chegam aos lugares mais longínquos do planeta, a pessoas de todos os credos e preceitos, entretanto, meu intuito não é o de recriminar a quem quer que seja, mas o de tentar aclarar as mentes sobre um assunto tão polêmico, mas que ao mesmo tempo é um dos maiores elementos que consolidam a essência das palavras solidariedade e bondade.  Isto se materializa ora com a doação de órgãos, ora com a solidariedade em si. Aproveito para convidar todos para curtirem a minha mais nova página:  https://www.facebook.com/JoaoLucianoSilvaCosta.com.br. Quanto as milhares de pessoas que encontram-se em uma fila de espera no aguardo de um órgão, peço-lhes que, nunca percam á fé em Deus, independente de credo religioso, pois tudo vai dar tudo certo. Acreditem, pois aonde bate um coração sempre há uma solução!!!  Reflitam e tenham um excelente dia!!!


João Luciano Silva da Costa.