Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

25 de fevereiro de 2015

A Dor das Decepções e a Importância da Superação


 Sentimento degradante, cruel e desgastante o que a princípio, gera-nos um desapontamento natural com relação ao ser humano, mas depois de recuperadas as forças é superado. Trata-se de um dos piores, senão o pior sentimento a que uma pessoa, pode ser levada a passar ou que já tenha passado. Contudo, ter dentro de si muito amor e, sobretudo, fé inabalável em Deus, independente de credo religioso, faz toda a diferença para a obtenção da superação.

   A desilusão é uma dor que corrói a alma, quer seja por conta da ruptura de uma amizade, no que diz respeito ao amor, e este amor abrange o sentimento existente entre pais e filhos, irmãos e por aí vai.  Como é perceptível, as desilusões ocorrem em todos os contextos das relações humanas. Na minha concepção, as desilusões durante um tempo maltratam o coração, mas depois acabam  transformando-se, como todas as vicissitudes da vida, em uma grande armadura, capaz de dar-nos uma capacidade ainda maior de driblarmos os momentos avessos. Via de regra é assim: No início recebemos digamos que, uma espécie de pancada e  ficamos por vezes perdidos e sem rumo, mas depois tornamo-nos ainda mais fortes e aguerridos, desde que, tenhamos dentro de nós, uma força imbatível, e volto a dizer: muito amor e, sobretudo, fé. As desilusões se dão por conta de uma série de fatores, dentre os quais, as fortes expectativas que muitos empregam em outrem. Não esperem ou alimentem no próximo, expectativas, pois nem todos irão correspondê-los. Caros leitores do Brasil e do mundo, nunca sintam-se desmotivados e fracassados em razão de terem sofrido algum tipo de frustração. Saibam que viver é correr riscos constantes e sobressair-se em meio a todos eles, por mais complexos que possam parecerem é uma virtude inerente aos guerreiros.  Nisto está a solidez do amor e da fé. Há quem possa dizer: Poxa vida, fui correto, amigo sincero e, em alguns casos até chamei determinada pessoa de irmão ou irmã, e no entanto, o que recebi foi só ingratidão. Você nunca deve culpar-se pelo bem que fez e nem muito menos julgar  alguém. Seja superior. Ofereça ainda mais amor. Pense que, se não o amaram e não foram capazes de perceberem a luz que o circunda é porque não possuem sequer amor próprio, e mais, não merecem o seu amor, bem como tampouco sua consideração, mas sim a sua oração. Tratam-se de pessoas dignas de pena, ricas talvez de dinheiro, mas paupérrimas de espírito. Para mim o mais importante não é o que temos, mas o que somos. O que temos acabará cedo ou tarde, mas o que somos  é o legado que nos eternizará. Nunca deixe de acreditar porque a despeito de tudo, ainda existem pessoas maravilhosas e que certamente serão sinceras e honrarão o valor de sua amizade e amor.

  Certa vez, disse Nelson Mandela: "O perdão liberta a alma e afugenta o medo", portanto, perdoe sempre. Sabe caros leitores, ao sentir as dores das desilusões e enfrentando as lutas da vida, temos a clara percepção de que a cada momento castigante que vivenciamos, nos tornamos ainda melhores e passamos a amar ainda mais as pessoas. Claro, salvo as exceções, pois nem todas as pessoas pensam assim. Não adianta nos blindarmos por meio das barreiras dos medos gerados pelos traumas das desilusões. Meu lema é "Seguir em frente e nunca deixar de acreditar". Sempre terá uma mão estendida para você, a começar pela minha. Reflitam e tenham um excelente dia!!!





João Luciano Silva da Costa.