Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

14 de dezembro de 2014

A Intolerância e suas Nuances



 Lamentavelmente vivemos em um contexto de absoluta intolerância de uns para com os outros, sem generalizar. Um fato que, infelizmente, permeia o contexto social. Algo que denota ignorância no que tange as relações sociais, mas que tem perdurado. A falta de entendimento e capacidade de lidar com a individualidade do outro tem-se tornado uma constante. Precisamos andarmos a passos largos para atingirmos um patamar aonde todos estejam unidos em comum acordo em prol de um mundo melhor, como bem representa a ilustração ao lado. Convido o mundo a defender um lema, cujo qual eu cunho chamar de: " todos em prol da paz". A cerne de tal movimento sustenta-se em ações praticas, pois somente a partir de atitudes e não de palavras bonitas teremos êxito nesta empreitada.

   Precisamos ter uma humanidade mais receptiva, humanizada e que consiga perceber que reside na tolerância, compreensão e no amor o tripé harmônico para a abolição das inúmeras mazelas sociais nas quais muitos países encontram-se mergulhados. Um exemplo claro é a falta de entendimento entre os governantes. Isto por sua vez respinga no povo sofrido que carece do básico necessário, ou seja, pela discórdia da minoria, paga-se a maioria desfavorecida de atenção. Saindo desse campo,  falar em intolerância remete-nos a um absoluto retrocesso histórico no que refere-se a evolução de todos, nós, enquanto seres humanos. Discute-se e mata-se  por nada. Está tem sido a realidade no Brasil e no mundo. Necessitamos uns dos outros. Não podemos jamais darmos espaço para o orgulho e a  soberba , pois dessa vida nada levamos. Aliás, sempre enfatizo isso aqui. O único legado que deixamos são as nossas boas obras. Obras estas que são: caráter, seriedade, lealdade, humildade e amor para com o nosso próximo. Esses exemplos sim, consolidam e eternizam a nossa existência. Contudo, chamo todos a uma reflexão, afim de que atitudes mesquinhas e tacanhas cessem e,  assim possamos vislumbrarmos em um futuro próximo uma  harmonia, aonde consigamos caminharmos de mãos dadas rumo a uma realidade pacífica e feliz. Acreditem. Isso é possível.

   Muitas vezes o que falta para a harmonia de uma humanidade é cada cidadão tirar o olho do próprio umbigo e colocar-se um pouquinho no lugar de seu próximo. Simples assim. Seja para escutar, estender as mãos e, enfim ser receptivo.  Na minha concepção, fazer conjecturas, sobre o que se pode fazer para melhorar o modelo político ou de governo vigente no mundo, assim como o plano econômico e social de uma humanidade, não vai de encontro  com a realidade cruel vista a cada esquina.  Perdoem-me a sinceridade, mas chega de tanta hipocrisia. A paz, igualdade social e o bem comum no seu todo, só existirão de fato, quando houver dentro do contexto das relações sociais a harmonia necessária para atender a tais anseios. Tenham um excelente  dia.




João Luciano Silva da Costa.