Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

17 de setembro de 2014

A Idade e a Maturidade



 A meu ver,  maturidade é a forma responsável e prudente de como um indivíduo enxerga e se porta diante da vida. Jamais ela vai estar condicionada a idade. Até porque, idade é um mero estagio de desenvolvimento natural  a que todos nós seres humanos estamos sujeitos, ao longo da vida, logo trata-se de um ciclo natural da vida que é nascer, crescer, reproduzir, envelhecer e morrer.

Contudo, saindo da perspectiva natural, cujo a qual ,discorri, é impossível tocar em algumas questões, sem entretanto, deixar de falar sobre o fator responsabilidade. Viver correndo riscos a todo momento e arriscar trata-se de uma dinâmica muito atraente aos meus olhos, pois sem arriscar e errar fica literalmente impossível a evolução humana. A aquisição de experiências consiste nisto, ao passo, que saibamos sempre os limites entre o real e o surreal porque há riscos que não valem a pena e não são interessantes de serem sobrepostos, pois geram  consequências altamente prejudiciais. Dentro do contexto das relações sociais ter responsabilidade ao contrário do que muitos pensam nem sempre partirá de uma pessoa que tenha mais idade. A idade  passa para muitos a percepção de sabedoria, prudência e sensatez, porém o que não se percebe é que nem todos aprendem com os riscos que correram e nem muito menos aprenderam com as consequências dos mesmos. Não digo isto, condenando e contradizendo-me em relação ao que  falo no início deste parágrafo. Trata-se apenas de uma simples constatação: os riscos são inerentes a vida, porém saber aprender com cada um deles é uma tarefa para poucos. Um exemplo: Muitos erram com seus amigos, familiares e levam o sentimento de rancor incrustado em seus corações por toda a vida, ou seja, não aprenderam a perdoar e por aí vai. A evolução se dá quando vivenciamos situações  adversas e as driblamos e melhoramos como seres sociais.

 Enfim,os riscos, bem como os erros são saudáveis se ao vivenciá-los conseguimos tornarmo-nos seres humanos plenos, mais compreensíveis, receptivos, leais e sensatos ao ponto de nunca julgar a quem quer que seja, pois todos somos passíveis de erros. Aliás um dos fundamentos da maturidade está exatamente em não criticar e fazer juizo de valor sobre as pessoas. nisto está a cerne de toda a questão. A vida é uma ceara de abundante aprendizagem. Aprendizagem esta, que  se adquire tanto dos mais idosos quanto dos jovens. Reflitam e tenham um ótimo dia.





João Luciano Silva da Costa.