Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

5 de junho de 2014

O Brasil da Copa e as Mazelas Socioeconômicas



  Não é justo o governo fazer gastos astronômicos, enquanto boa parcela de seu povo padece. O país sede dos jogos da Copa do Mundo passa por uma situação caótica, na qual denota-se a clara ausência do poder público. O quadro é de uma realidade cruel, onde hospitais não possuem a miníma estrutura, transportes públicos super lotados, bem como uma série de precariedades. Talvez os turistas lamentavelmente irão se depararem com alguns dos tais problemas, vivenciados pelo povo brasileiro. Digo isto, pois os governantes fazem questão de jogarem a sujeira para debaixo do tapete e esconderem as mazelas socio-econômicas do país o que é deplorável. Contudo, destaco que, trata-se de uma fato inquestionável a importância de um evento de tal relevo, como os jogos da Copa, porém na minha concepção, precisamos antes de realizarmos um evento desta monta termos a primazia de que tudo esteja organizado. 

 É perfeitamente explicável a situação na qual o Brasil está mergulhado. Primeiro ponto: um país de tantas riquezas naturais e que tem um sistema educacional péssimo. Outro ponto: um país que gasta milhões e milhões de sua receita proveniente de impostos públicos com obras para os jogos mundiais e têm um sistema de saúde deficitário, meios de transportes insuficientes, milhares de famintos e sem teto que sequer possuem o mínimo de condições dignas de vida. A meu ver, contamos com uma política fajuta, a inexistência em muitos estados, senão todos do país, de saneamento básico, água encanada e luz. A situação é assustadora e a cada dia torna-se pior, pois os que deviam fazerem algo, não se manifestam. Os candidatos nas eleições aparecem com histórias mirabolantes, prometendo mundos e fundos, enchendo de esperanças os que carecem de cultura, e portanto não têm como discernirem a o que é verdade do que é astúcia. Não me canso em dizer que, a mudança que tanto precisamos está indiscutivelmente ligada à estrutura familiar e a um sistema educacional, não existe outro meio  para a solução de problemas crônicos como estes, pois com mentes pensantes, muitos não serão massa de manobra na mão de políticos corruptos, como são. Faço está análise para descortinar, apesar do momento de descontração esperado por milhares de estrangeiros a falsa imagem que é vendida e sobretudo conclamar a que todos reflitam e cobrem mudanças a respeito destas situações.

  O presente ano será cenário dos jogos da Copa e das eleições de novos políticos, para ocupação de cargos públicos. Eis aí o momento precioso para que todos nós, analisemos, fiscalizemos e na hora do voto saibamos de fato exercermos as nossas funções, afim de que assim nosso país possa triunfar com o exercício da cidadania. No que diz respeito a Copa, fica o meu caloroso desejo de que vença o melhor e que a belíssima taça em tela, possa ser contemplada pelo país que se destacar exitosamente. Tenham um ótimo dia.


João Costa.