Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

18 de março de 2014

A Vitória dos Garis


 No Brasil, os profissionais que recolhem os lixos das ruas das pequenas e grandes cidades, são conhecidos como Garis. Fatidicamente, os profissionais da referida área são vistos com certa indiferença por muitos na sociedade, como se a sua função não fosse relevante, porém um episódio histórico, em pleno carnaval Brasileiro, na cidade do Rio de Janeiro, tivemos felizmente, um divisor de águas, pois a categoria se mobilizou, cruzando os braços e só voltando a suas atividades, após receberem o ajuste salarial que propuseram. Somente ao pararem de realizarem suas funções a sociedade e o governo, sem generalizar, puderam notá-los e dar a eles o o devido valor. 

 As mobilizações, quando feitas com um propósito firme e bem definido, provocam impactos satisfatórios dentro do contexto social. Contudo, muito ainda precisa ser feito. No caso em pauta, isto é só o começo. Os aumentos de salariais devem serem igualitários, e estarem de acordo com a política econômica nacioanal brasileira, e que sobretudo, respeite a Constituição Federal Brasileira, que no seu artigo: 7°, inciso IV diz que: o salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, tem que ser capaz de atender as necessidades vitais básicas do trabalhador, assim como às de sua família, com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim. Inclusive, ressalto a reafirmação destes direitos consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos, estabelecidos na resolução n° 217 da Assembléia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), realizada em Paris, na França em, 10/12/1948, no seu artigo: 23. As leis, a rigor precisam serem cumpridas, para que nós tenhamos a sensação clara de que o seu papel cristaliza a legitimidade de sua existência, uma vez que legitimidade quer dizer legítimo, verdadeiro, e não algo subjetivo, e portanto, inexistente na pratica.

 Tudo isto, prova que, quando um povo insurgi-se corretamente contra o poder governamental, em prol de seus direitos, as coisas de fato, passam a funcionar. Deixo aqui, os meus parabéns a todos os Garis e as classes que de modo geral, trabalham com limpeza. Indiscutivelmente todos, sem quaisquer distinção, merecem respeito e condições dignas de trabalho. Tudo isto começa pela valorização humana, que neste caso imprescindivelmente passa pela remuneração, que estimula e impulsiona o trabalhador, sem contudo, deixar de frisar a importância de que façamos tudo com amor. A imagem em tela enaltece e demonstra o quanto é de utilidade pública a função dos nobres funcionários ressaltados, aqui. Tenham um ótimo dia.



João Costa.