Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

14 de dezembro de 2013

O país da Copa e as guerras nos estádios


  Como é do conhecimento mundial em, 2014 o Brasil sediará o maior evento esportivo do mundo, que é a Copa. Atualmente o país carrega em seu histórico, um quantitativo de déficits imensos nas áreas de transportes públicos, pois não tem uma malha de trens, metrôs e ônibus capazes de comportarem e atenderem com o mínimo de qualidade, o seu próprio povo e quanto mais aos milhares de turistas que desembarcarão no mesmo, para assistirem um evento de tal magnitude. isto posto, temos ainda, uma questão muito vexatória e antiga, na qual torcidas organizadas se digladiam dentro de estádios de futebol, através de cenas de absoluta violência e falta de tolerância, como em um jogo recente entre os times  brasileiros: Atlético Paranaense e Vasco em, 08/12/2013, como podem observarem na veiculação feita pela Rede Bandeirantes de Televisão, no vídeo abaixo:


 Adentrando a realidade existente, entender que um país constituído de precariedades na prestação de serviços básicos, como é o caso dos transportes públicos, existência de intolerância de algumas torcidas, que por perderem uma partida, não aceitam e partem para o ataque truculento desferindo socos, chutes e pontapés entre si. Tratam-se de atitudes deploráveis. É inconcebível a idéia de que um visitante do exterior tenha uma percepção positiva em relação ao brasil. Pode como sempre, haver o deslumbramento com as belezas naturais e com a hospitalidade e receptividade do brasileiro, porém isto de forma alguma isenta nosso país da vergonha na qual se encontra, até porque estou me atendo aqui a dados básicos das deficiências do brasil, e neste mister não quero fugir ao tema em pauta, porque do contrário a lista de precariedades é extensa. 

  Penso que, a reflexão, tolerância, respeito mútuo, sabedoria e o uso da força mental para a canalização de boas energias, são elementares para a transformação dessa realidade. A força de um ser humano não está no uso de seus músculos, mas sim na capacidade de ter civilidade, responsabilidade, serenidade, e em um dos desafios cujos quais, muitos não gostam de falar que é a capacidade de perdão.  Tenham um ótimo dia. 



João Costa.