Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

9 de novembro de 2013

Instituto Royal: O temor dos animais


  O absoluto desprovimento de amor e sensibilidade de alguns seres humanos em relação aos inofensivos animais é uma lastima. Recentemente tivemos em, São Paulo, uma das maiores cidades do Brasil, a efetiva e plausível participação de ativistas que defendem os direitos dos animais no caso do conhecido centro de pesquisas: Instituto Royal. A violência neste caso se deu em relação a cachorros da raça beagles, cães de origêm britânica. Esses animais segundo consta, eram feitos de cobaias, para segundo a pesquisadora e chefe da referida instituição, desenvolverem medicamentos para a indústria farmacêutica. Em entrevista feita pelo jornalista Roberto Cabrini e  veiculada em, 31/10/2013, no programa Conexão Repórter do SBT (Sistema Brasileiro de Televisão), todos poderão ver de maneira bem clara o clamor dos  ativistas e a frieza da gerente geral do referido instituto. Assistam abaixo, por gentileza ao vídeo:


 Ao ver está realidade fico extremamente inconformado e revoltado que certos indivíduos, que se auto intitulam de semideuses, porque na minha concepção não há outro nome a ser dado a pessoas que barbaramente mau tratam os animais. Repudio em absoluto praticas como essas, que revelam a desumanidade, demonstrando neste caso específico, que há por traz de tudo isto uma “máfia”, para a manutenção da indústria farmacêutica, que faturam rios de dinheiro, enchendo a população de medicamentos paliativos que ao invés de levarem cura, para as pessoas, a tornam dependentes de uma química que não passa de uma droga legalizada as custas de animais, que são submetidos a tortura e consequentemente levados à morte. Friso, contudo, que ainda que fosse para a cura de pessoas é inaceitável que animais inofensivos, sejam sacrificados. Defendo aqui a solução, porém através de políticas públicas, voltadas para o investimento maciço no desenvolvimento de tecnologias, capazes de produzirem antídotos, para a cura. Isto existe em países de primeiro mundo e precisa ser feito no Brasil.

 Espírito humanístico, sensibilidade e boa vontade são os elementos que os defensores dos animais, bem como a maior parte da humanidade esperam, das autoridades públicas, para com todos os animais, por meio da criação de leis que protejam com a rigidez devida à vida dos mesmos. A imagem em tela, mostra a beleza, docilidade e demonstra o quanto são inofensíveis os referidos beagles. Esta e todas ás raças de cães merecem carinho e respeito, bem como todos os animais. Conclamo a que todos apoiem essa causa. Reflitam e tenham um ótimo dia. 


João Costa