Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

6 de setembro de 2013

As guerras e o clamor de paz


 Tento estabelecer um grau de lógica para explicar o porquê de tanta guerra e o clamor do ser humano por paz, digo isto porquê levantam-se bandeiras brancas, falam-se tanto de pacificação, porém na vida prática o que mais observo é a ausência de tudo isso, sem generalizar.

 Passar uma mensagem de paz é elementar, desde que a vivamos em sua plenitude e não de maneira subjetiva. Muitas pessoas mal se olham, mal se cumprimentam o que não estabelece um nexo lógico entre a luta pela paz e o que é feito para a aquisição da mesma, gerando assim uma sensação de hipocrisia. Um exemplo bem prático de tudo isso: Ao adentrar alguns  lugares, você dá um simples bom dia, e as pessoas sequer te olham e muito menos respondem. Vejo que antes de qualquer mobilização, muitos precisam rever suas posturas frente à realidade atual, para que tenhamos uma exitosa projeção de realidade futura. No mínimo os referidos comportamentos estão ligados a falta de educação, não a oferecida nas escolas, mas sim a primordial que é a dada pelas mães e pais, muito embora haja exceções, pois muitos dão educação, porém nem todos os filhos a seguem. Contudo, defendo sempre a tese de que o caminho para um mundo melhor está em uma boa e sólida estrutura familiar. 

 O fim das guerras esta diante de todos: A educação, o banimento do radicalismo cristão e da intolerância que são uns dos motivadores das grandes guerras e, sobretudo a fé em Deus, independente de credo religioso. Atualmente o mundo vive sob a iminência de uma guerra contra o povo da Síria. Pessoas inocentes  por conta de governantes insensíveis são levadas a morte nessas guerras desumanas e injustificáveis. Crianças, adultos e enfim famílias inteiras são dizimadas em nome de um absurdo egoísmo político. Muitos precisam substituir as armas pelo amor, o derramamento de sangue pela doação de sangue, o orgulho pela humildade e as diferenças pela compreensão. Reflitam irmãos Brasileiros e de todo o mundo, pois estamos nesta vida de passagem. Uma passagem tão curta que precisa ser marcada não pelo sangue de outro irmão, mas sim pelo amor fraterno, bem como de boas obras afim de que tenhamos uma geração vindoura, pacifica e humanitária. A imagem em tela, denota a importância da união entre todos nós na busca incessante por um mundo melhor. Tenham um ótimo dia.


João Costa.