Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

11 de agosto de 2013

Dia dos pais


  Trata-se de uma data memorável, pois celebra o que na minha concepção é uma conjugação de amor, afeto e carinho. Estas são atitudes peculiares a um excelente pai. Tanto quanto uma mãe, o pai, possuí um papel elementar no processo de criação e desenvolvimento de um filho. As boas relações entre um pai e um filho é um dos pilares que sustentam uma família e garante a projeção sadia de uma geração de valores  construtivos e com solidez.

 Observo muitos pais, que tratam seus filhos melhor, até mesmo que uma mãe. Há inclusive casos de muitos que criam filhos sozinhos, em razão do desaparecimento da mãe, ou do falecimento da mesma. Esses pais sim demonstram em sua plenitude o real sentido da palavra amor, o que obviamente não está ligado somente a figura materna, mas a um conjunto de atitudes que indiscutivelmente provam a essência de um sentimento genuíno e fraternal. Agora, não posso deixar de direcionar meus pensamentos e olhares, para aqueles que nessa data não possuem um pai para abraçar ou ao menos uma família, com quem compartilhar sentimentos que traduzem o amor. Sei que, existe uma lacuna imensa no coração de milhares pessoas que não possuem uma família, mais vejo também que existem tantas outras milhares, que não possuem um pai ou família e que no entanto deram e dão a volta por cima, pois possuem dentro de seus corações a convicção de que Deus independente de religião, as carrega em seus braços e de que tudo nessa vida não passa de uma mera passagem. Digo família porquê devemos entendermos que nem todos possuem um entendimento, ou até mesmo capacidade para lidarem com as vicissitudes da vida, sem terem alguém por perto. Para tanto, precisamos entendermos, que o contexto social no qual estamos inseridos por questões históricas, religiosas e culturais tem por paradigma que todo ser humano tem que ter uma família. Concordo que sim, porém temos que demarcarmos paralelamente a este modelo preestabelecido uma estrutura histórica aonde tenhamos um espaço reservado aos que perderam os seus familiares, aos que sofrem sem um teto, aos que padecem de fome e a todos aqueles que sofrem as injustiças de um sistema capitalista, que em datas como essas incutem a idéia de compra e consumo. Nada contra aos que compram, porém precisamos de um sistema que priorize também questões sociais. Assistam a este vídeo e vejam a prova de amor dada por um pai, que não mede esforços para ajudar seu filho em um processo de superação emocionante:


   Espero que depois deste artigo, os filhos que estejam magoados com seu pais ou vice e versa, reformulem seus pensamentos, pois muitos são os que não tem um pai para abraçarem neste instante, e sobretudo a observação de que um amor verdadeiro supera tudo.  Dirijo-me a todos que não que não possuem uma família e digo-lhes: não desistam, sem fortes e nunca lamentem o que não possuem. Deem a volta por cima. Sejam exemplos e ajudem a outros superarem as dores da vida como vocês são capazes. Ouçam este conselho, pois ele parte de uma pessoa que não tem família que é o meu caso. Não lamento e nem questiono. Sou feliz a cada dia. Torno-me cada vez mais forte e hábil  a cada  vicissitude da  vida . No início foi difícil claro, mas aos poucos fui criando dentro de mim uma couraça. Sempre fui assim. Tenho a quem assemelhar-se e agradecer. Esta ilustre pessoa  se chama: "Brasilina Maria de Jesus Costa" que para mim foi e é um exemplo de mulher guerreira, sábia, elegante e altamente destemida diante dos problemas da vida. Minha referida avó, deixou-me um legado de valores cujo quais sigo até hoje. A quem interessar falo um pouco sobre a minha história de vida, no artigo que publiquei em, 12/05/13, "dia das mães". Resumo: entendam que os problemas surgem para todos. Seja em pequena ou em grande proporção. O que faz toda a diferença é a maneira como os encaramos. Sabe caro leitor, a vida nos ensina. Como bem diz um ditado popular: " Devemos fazermos de um limão uma limonada" Penso que, a palavra chave para os que padecem mergulhados na melancolia, em datas como essas, ou em dias comuns reside na atenção e, sobretudo em Deus, independente de credo religioso. Desejo a todos os pais do Brasil e do mundo um ótimo dia, bem como muita saúde, realizações e um feliz dia dos pais!



João Costa.