Idiomas

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

23 de julho de 2013

O Brasil e a Jornada Mundial da Juventude


 Não dou em meu blog destaque para esta ou aquela religião, pois não vejo nisto a solução dos problemas pelos quais vivenciamos, mas sim o de que toda humanidade necessita acordar para a necessidade do perdão, amor desprovido de interesses, libertar-se dos egoísmos e sobretudo atentarem-se para a importância da humildade. Com base em tudo isto não posso deixar passar despercebida a primeira visita que é feita pelo Papa Francisco. Sua presença e atitudes dispensam qualquer comentário no que refere-se a humildade e docilidade. Nascido em, 17 de dezembro de 1936 em Buenos Aires capital da Argentina, em uma família de imigrantes Italianos e ter vivido no bairro de Flores, Papa Francisco cujo nome a época era: Jorge Mario Bergoglio, sempre teve sua vida marcada por hábitos simples e uma trajetória de humildade, o que ratifica a sua postura atual. Trata-se de o primeiro papa  nascido no continente americano, o primeiro pontífice não europeu em mais de 1200 anos e é o primeiro Papa jesuíta da história. Antes de tornar-se papa o mesmo assumiu a função de Arcebispo em, 28 de fevereiro de 1998, depois a de Cardeal em, 21 de fevereiro de 2001 e  foi eleito papa em, 13 de março de 2013. Reflitam sobre as sábias palavras do papa no discurso feito na cerimônia de boas vindas do Rio de Janeiro no vídeo abaixo, pois as mesmas devem servir de paradigma para todos:


 Vi esboçado nos rostos e olhares atentos do povo da cidade do Rio de Janeiro onde nasci e fui criado a enorme alegria, satisfação e esperança ao terem esta referida visita. Isto posto. Fica claro que o povo passa por um momento de enorme sofrimento, dor e carência de pessoas idôneas como demonstra ser o Papa e isto se estende desde o campo religioso, político, econômico até o social. O povo Brasileiro e do mundo possuem uma extrema necessidade de empregarem na figura de alguém que reconheçam como merecedora de tal reverência as suas esperanças diante de um mundo com tantas gerras e contrastes sociais. Em uma análise bem racional penso que, movimentos religiosos de todos os seguimentos a seu modo tentam incutirem de alguma maneira a sua filosofia de como agradar a “Deus”, porém o Papa através de suas singelas atitudes o fez e tem feito de maneira notável, porém me entristece muito a maneira como outros fazem, e neste mister, não faço generalizações, pois não cabe a mim fazer deste assunto um meio para criticar ou julgar a quem quer que seja ou a religião que professem, mas de alertá-las porquê no calor de suas emoções acabam por esquecerem de utilizarem a razão que é um fator fundamental para questionamentos e análises. Hoje lamentavelmente as religiões buscam sem generalizar ampliarem o aumento de seus seguidores, sem, contudo, levarem em conta o genuíno papel que lhe fora dado que é o de levar as pessoas a terem um encontro com  Deus e com elas mesmas. A violência, pobreza, falta de conhecimento tem sido um dos meios utilizados por muitos seguimentos religiosos, para  arrebanharem pessoas para os seus nichos, e com isto ao invés de progredirmos acabamos por entrarmos em um retrocesso. O Papa sem dúvidas está trazendo as boas novas de maneira bem verdadeira. Poderia ter vindo em um avião super luxuoso, hospedar-se nos melhores lugares e abriu mão de tudo isto. Abriu mão de estar ao lado das autoridades para em primeiro lugar cumprimentar o povo humilde que o esperava. Deus quando andou pelo mundo segundo a bíblia, tratava a todos de maneira igual, sem qualquer distinção e tenho visto isto na figura do Papa Francisco o que alegra-me muito.

 As pessoas precisam entenderem que, não está no papa, no pastor ou em quem quer que seja a sua digamos “salvação”, mas sim na pratica diária e contínua de amor mútuo uns para com os outros, da ajuda não só em movimentos como o desta monta, mas sim em todos os momentos de suas vidas. Infelizmente o amor e a benevolência tem se esfriado a cada dia e tem dado espaço para a arrogância, egoísmo o que tornou-se o caminho para o declínio universal das relações sociais e religiões. Vejo como muito plausível movimentos como a: JMJ (Jornada Mundial da Juventude), "A Marcha para Jesus", movimento realizado  no Brasil. Mesmo sem defender está ou aquela religião, pois não quero incorrer aqui em um erro crucial de desrespeito a credo religioso, não posso deixar de ser em minhas considerações e convicções honesto e racional, pois para está finalidade que criei o meu blog. O mesmo tem o papel de levar a todos do Brasil e do mundo a fazerem uma profunda reflexão sobre tudo que lhes é passado e não de maneira irracional aceitarem o que lhes é ensinado como verdade o que a rigor é um enorme equívoco. A vinda do Papa reacende sim a perspectiva de mudanças. O mesmo tem mudando normas do vaticano, tornando mais rígidas as leis, isto sinaliza o aparecimento de novas perspectivas dentro deste seguimento religioso e faz surgir um modelo de exemplo a ser seguido no mundo. Com isto a longo prazo vai apagando a imagem da instituição cuja qual representa, outrora marcada por escândalos como por exemplo o de pedofilia e diversos outros cujo os quais não adentrarei. A humildade é uma das coisas que mais prezo, pois desta vida nada levamos. O meu sonho é que um dia todos possam terem está visão. Tenham um ótimo dia!




João Costa.